← Ler todos os artigos

Coronavírus: quatro meses de isolamento social resultam em mudanças da jornada de compra

Desde dezembro de 2019, o mundo vem enfrentando problemas relacionados ao Coronavírus. Segundo dados do Ministério da Saúde, o Brasil foi atingido a partir de março de 2020, mês em que começaram as ações de quarentena e isolamento social. Com mais tempo em casa, passamos a rever as nossas prioridades e repensar compras. Foi exatamente isso que demonstrou uma pesquisa da Pointlogic, publicada em junho deste ano, sobre jornada de compra dos brasileiros.

Foram analisados dados de compras de março a junho de 2019 – época que não existia o novo coronavírus – com os meses de Março a Junho de 2020 – meses que foram instaurados medidas mais rígidas de isolamento social. Por não poder sair de casa, os brasileiros passaram a gastar mais com serviços essenciais e mudaram os padrões de compra referentes ao lazer. Em vez de ir a eventos ou viajar, os consumidores escolhem categorias como comida para viagem, bebidas alcoólicas, serviços de streaming e videogames.

Seguindo esta linha, as pessoas passaram a gastar mais com bebidas e comidas, com o gatilho de alívio do estresse. A pesquisa mostra que, o que seria destinado para viagens, como hotel e passeios, agora está destinado à compras por delivery e assinatura de serviços de streaming.

Um das mudanças foi resultado do medo de não ter acesso a alguns produtos. Os brasileiros passaram a estocar itens de limpeza como desinfetantes, álcool em gel, cuidados pessoais, alimentos e medicamentos. Atrelado a isso, 54% dos consumidores estão indo com menos frequência à mercados e farmácias. Quando vão, 29% passaram a comprar em maior quantidade.

Apesar da grande preocupação sobre consumo de bebidas alcoólicas, a quantidade de álcool comprado não mudou muito em comparação ao ano anterior. Outra mudança é no local da compra. Os brasileiros passaram a realizar mais compras online ou ir em lojas menores e mais próximas. A pesquisa mostra que 36% dos consumidores preferem fazer pedidos online em vez de ir às lojas e 40% tendem a escolher as lojas próximas a suas casas, que podem ser lojas menores do que costumam frequentar.

Apesar das mudanças no comportamento, os consumidores se mantiveram leais às suas marcas preferidas na maioria das categorias. Somente para categorias como produtos para casa e jardim, videogames e periféricos de computadores, é mais provável que os consumidores experimentem novas marcas. Porém essa é uma opção intencional para experimentar algo diferente.

Por fim, como o destaque durante a pandemia do coronavírus foi para o aumento das compras online, fica claro que as empresas precisaram mudar a sua estrutura de venda. É preciso se readequar para entregar as exigências do público. Fica clara a necessidade de um fortalecimento de marcas para manter a fidelidade dos clientes. Além de um melhoramento da presença digital, já que as pessoas passaram a pesquisar as condições de abertura de empresas específicas ou a realizar a compra de forma 100% online.

Cuidar da presença digital passa a ser uma necessidade e não mais um investimento. Ter um site, estar em redes sociais, ter um pin no Google é imprescindível para manter as vendas durante este período. Desenvolvemos um material com 7 estratégias de marketing digital fáceis para implantar no seu negócio. Esse material vai auxiliar você a ser achado na internet e diminuir os problemas causados pela pandemia.

1 comentário em “Coronavírus: quatro meses de isolamento social resultam em mudanças da jornada de compra”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Rolar para cima